domingo, novembro 05, 2006

GASTOS DO GOVERNO EM PORCENTAGEM DO PIB

Por que o Brasil cresce pouco

Economista José Márcio Camargo, Folha de São Paulo (íntegra)

Como o país gasta muito com os idosos, sobram poucos recursos para investimento na educação das crianças

"O BRASIL tem carga tributária de Primeiro Mundo e serviços sociais de Terceiro Mundo." Essa frase tem sido dita e repetida por empresários, analistas, políticos, profissionais liberais etc. Não há dúvida de que a carga tributária brasileira, de 38% do PIB, é extremamente elevada. Nesse sentido, a frase está totalmente correta.

Entretanto será que o complemento -"e serviços sociais de Terceiro Mundo"- está correto? E, caso a resposta a essa pergunta seja afirmativa, para onde vai o dinheiro arrecadado?

Comecemos pela pergunta: para onde vai o dinheiro arrecadado pelo Estado?

O governo brasileiro gasta:

13% do PIB com aposentadorias e pensões,
4,5% com educação e
7,5% com saúde.
-------
25% do PIB, ou 68% do total de tributos arrecadados.

Se acrescentarmos:
7% do PIB para o pagamento de juros da dívida pública e
4,25% superávit primário (amortização da dívida)
-------
36,25% do PIB.

Sobra 1,75% do PIB [para chegar em 38%] para investimentos e manutenção dos outros setores (infra-estrutura, segurança, agricultura, ciência e tecnologia etc.). Como esse dinheiro não é suficiente, o governo brasileiro tem déficit anual de aproximadamente 3% do PIB. Portanto para todos os outros setores são destinados 4,75% do PIB a cada ano (o 1,75% que sobrou mais o déficit nominal de 3%).

SÓ CORTAR JUROS NÃO É SUFICIENTE

De todas as rubricas descritas, alguns dirão que o total de recursos destinado ao pagamento de juros está excessivamente elevado e poderia ser reduzido. Entretanto, ainda que seja possível cortar a taxa de juros real à metade, sem gerar inflação, a economia de recursos seria da ordem de 3,5% do PIB. Um valor significativo, mas apenas o suficiente para eliminar o déficit nominal do setor público. Algo adicional teria de ser feito para viabilizar a redução da carga tributária e para ter mais investimentos sem gerar aumento do déficit público e, portanto, sem risco de volta da inflação.

Dos itens descritos, as proporções dos gastos com saúde e com educação estão basicamente dentro da média internacional.

13 % PARA APOSENTADORIA ESTÁ FORA DO PADRÃO MUNDIAL (6% PARA A MESMA PROPORÇÃO DE VELHOS)

Entretanto os gastos com aposentadorias e pensões estão totalmente fora do padrão. O Brasil tem 6,5% de sua população composta de idosos -pessoas com 65 anos ou mais. Países com essa porcentagem de idosos gastam, em média, 6% de seus respectivos PIBs com tal rubrica. Ou seja, gastamos o dobro da média internacional. Países asiáticos, como a China e a Índia, ou não têm nenhum sistema de previdência social (Índia) ou gastam menos de 2% do PIB com a rubrica (China e Coréia do Sul).

Suponha que o Brasil gastasse a média internacional (6% do PIB) com previdência e assistência social [economizaria 7% do PIB (13-6]. Nesse caso, o total de gastos com os setores sociais (previdência [6%], assistência, saúde e educação) seria de 18% do PIB e, mantendo-se os gastos com os demais setores nos mesmos níveis atuais, o total dos gastos públicos, excluindo o pagamento dos juros da dívida, atingiria 22,75% do PIB. O resultado seria um superávit primário de 15,25% do PIB (38% menos 22,75%), o que geraria uma queda dramática dos juros da dívida pública.

Suponha que, diante desse cenário, os juros reais possam cair para 3% ao ano, levando o gasto com juros para 2,5% do PIB [economizaria mais 4,5% (7-2,5)]. Nesse caso, o superávit nominal seria de 12,75% do PIB. Nesse cenário, o governo poderia reduzir a carga tributária em 6 pontos percentuais do PIB e, ao mesmo tempo, aumentar os investimentos em infra-estrutura, segurança, educação etc. em 6,75 pontos, preservando o equilíbrio das contas públicas. Suponha, finalmente, que da queda da carga tributária de 6 pontos, 2 pontos sejam convertidos em investimentos pelo setor privado. Nesse caso, teríamos aumento da taxa de investimento da ordem de 8,75 pontos do PIB, o que elevaria a taxa de investimento total de 20,5% para 29,25% do PIB, permitindo à economia crescer de forma sustentada a taxas acima de 6% ao ano. Portanto, ao contrário do que a afirmativa sugere, nosso sistema de aposentadoria e assistência social é muito mais generoso que o de qualquer país do Primeiro Mundo. O resultado é que gastamos muito com nossos idosos e sobra pouco para ser gasto com a educação de nossas crianças, com segurança, com infra-estrutura e com investimentos em geral. O Brasil gasta 15 vezes mais (em termos per capita) com aposentadorias e pensões do que com a educação de nossas crianças. A lição é simples: para reduzir a carga tributária e aumentar as taxas de investimento e de crescimento é indispensável uma drástica reforma do sistema de previdência e assistência social. Sem tal reforma, vamos pagar cada vez mais tributos e crescer pouco.

JOSÉ MÁRCIO CAMARGO é professor do Departamento de Economia da PUC-RJ e sócio da Tendências Consultoria Integrada.

19 Comments:

Anonymous Anônimo said...

O artigo está claramente dirigido a justificar o corte das aposentadorias o que seria dar um enorme calote em quem pagou a vida inteira. O grande volume resulta do abuso de quem não pagou e recebe aposentadoria integral (marajás), da politicagem que paga aposentadoria a quem não pagou, finalmente, o própio governo é o responsável por isso que está e não os idosos. A Varig, a TAM e eteceteras não pagaram e quem cobra? quem vai pagar? os aposentados? DISCORDO.

1:02 PM  
Anonymous Anônimo said...

Escreveu bonito, semeou dados importantíssimos, mas não foi sincero consigo mesmo!!!
Não é necessário sacrificar os aposentados! não é necessário fazer contas lindas, matematicas brilhantes...
A solução do problema está na distribuição correta da renda do país!!!
Nosso ilustre professor não pode deixar de notar que enquanto um Juiz receber mais de 20 mil por mês e um pai de família qualquer receber R$415,00, não poderá se falar "culpa" dos aposentados.
A "culpa" se espalha por todo sistema, como uma erva daninha.
Todos os problemas de uma nação como o brasil; Má qualidade na educação, violência, saúde precaria... Tudo deriva da má distribuição de renda!

5:36 PM  
Blogger claudio said...

Não vão querer discutir com um professor de economia da PUC ainda. Ele está certíssimo nas suas contas. Com estes cortes na previdencia e assistencia o país diminuiria os impostos, os juros alavancando o crescimento aumentando a arrecadação um pouco e aumentando os investimentos. Nesse quadro poderia se oferecer um muito melhor sistema de saúde com distribuição de remédios que geralmente são usados na fase idosa, fora a melhoria sensível na saúde e poderia até dar para os aposentados uma cesta básica para ajuda de custo, tem várias formas. Agora a reforma é necessária sim e tem que ser feita. Esse nível aí de comprometimento do PIB tá dando uma média de 2000 reais por mês para os aposentados, o problema que a maioria nao gerou riqueza pra merecer essa aposentadoria, se pudesse pagava 5000 por mes pra todo mundo do país, mas nao tem como.

5:33 PM  
Blogger claudio said...

Ops e pra completar, e depois conforme vai crescento vai aumetando a aposentadoria.
É o sacrifício, mas tem que ser feito até pelo presidente, parlamentares, corte de gastos nas esferas políticas, otimização do pessoal e outras coisas para que o país possa engrenar.

5:36 PM  
Anonymous valdir limoeiro pe said...

o professor está totalmente certo,mas não é só isso que falta para nosso país engrenar.O nossos maiores problemas são a corrupção e o corporativismo,um abraço a todos.

5:02 PM  
Blogger José Geraldo Jacob Neto said...

É duro ver esse números do Brasil. Penso que faltou ainda o custeio da maquina pública, transferencia de recursos para Legislativo e Judiciário.
A maquina administrativa, de seus ministérios e cabides em geral.
Pela conta do professor, esses recursos vem do aumento do deficit público.
O pior disse tudo é que os serviços públicos são de qualidade lastimável. Pessoas desinteressadas, desmotivadas, sem preparo, resultando no que vemos todos os dias.
Minha opnião é que deviamos mobilizar a sociedade para cobrar pelos servíços de qualidade, na saúde, educação, segurança, transporte etc.
Ensino médio gratuito e de boa qualidade para todos sem exceções, saúde pública de qualidade sem exceções.
Se pagamos igual ao primeiro mundo poque temos serviços de 3o mundo?
Acho que devemos isso ao Brasil e ao futuro das crianças.
Podemos até se preciso for fazer campanha para que empresas suspendam os pagamentos de tributos, para que possamos fazer os o geverno entender quem deveria estar no comando.
Para isso deveriamos deixar de lado o percentual do imposto e nos concentrar nos serviços públicos.
Da forma que esta hoje esta ótimo para os governos, porque ficamos apenas discutindo que os impostosestão em 38% ou 37%, porém o mais importante nada é dito.
Por ninguém e é lamentável.

10:38 PM  
Anonymous Anônimo said...

galera to de acordo com quase tudo.
mas uma coisa é certa. esse mais so vai mudar quando o brasileiro parender a votar. pq Luda melhorou bastante o brasil porem o que os senadores e deputados que roubam faz muita merda continua no poder pq nós colocamos eles lá. se quisermos uma educação melhor uma saude melhor teremos de aprender a voltar. ex: como collo consegue eleger-se em alagos, maluf em sp, e esse senador ki teve esses casos agora. nao podemos voltar a votar nessas pessoas. precisamos de pessoas la que estejam comprometidos a banir esses safados. pq na minha opiniao um tipo de politico desse nao pode voltar a se canidatar se estamos nas maos deles depois do voto mas eles antes do voto promente d+.
entao se nao aprendermos a votar vai continuar a mesma merda.

12:39 PM  
Anonymous Anônimo said...

Sei que estou aqui há muito tempo do que foi escrita essa matéria, mas como economista, falta uma condição básica em qualquer análise - cenário.
Não me interessei em lê-la toda, apenas uma curiosidade: o senhor se interessou em saber como se compõe o gasto com aposentadorias e pensões? Quando o fizer, verá que o peso desse custo não vem do surrado setor privado!
Não sou aposentada, apesar de anos e anos de contribuição, assim não faço parte desse "mercado".
Como é complicado a identificação, me considerarei "Anônima", porém sempre assino o que digo: Cristina Veiga.

9:26 AM  
Anonymous Anônimo said...

CALMA AE!!
Essa conta esta errada:
A Dívida Pública brasileira esta em torno de 1 TRILHÃO DE REAIS.
E o Governo Federal paga só 4,5% da arrecadação (700 BI / 2009), em juros dessa dívida de 1 Trilhão.
- 700 BI * 4,5% = 31 BI/ANO.
Outro fato interessante são os gatos com a SAÚDE: 30 BI/ANO. Como o Brasil vai sediar uma Olimpiada de 27 BILHÕES??

1:21 PM  
Anonymous Anônimo said...

o gasto do brasil com o seu pib esta totalmente equivocada, alias,
o gasto que o brasil tem com os aposentados deveria sim diminuir.

O BRASIL DEVERIA INVESTIR 100% DO SEU PIB NO CLUBE ATLETICO MINEIRO, DANDO UM RETORNO INIMAGINAVEL PARA A ECONOMIA BRASILEIRA, TORNA-SE COMUNISTA E SE SUICIDAR ENCARANDO O CAPITALISMO ANGLO-SAXONICO, DESPROPIAR O ESPORTE CLUBE CRUZEIRO E POR FIM, ALIAR-SE A COREIA DO NORTE E INVADIR A ARGENTINA OS ESCRAVIZANDO

8:56 PM  
Blogger gccardoso said...

Alguém postou um comentário assim: "se nao aprendermos a votar vai continuar a mesma merda".

O problema é que falta educação do povo. Um povo semi-analfabeto não consegue entender e decidire as coisas pensando criticamente.

Todos somos manipulados pela mídia e propaganda, mas aqueles que têm menos educação são os mais manipuláveis.

7:19 PM  
Anonymous Anônimo said...

quanto ao " Juíz receber 20 mil ", é necessário que um juís receba essa quantia para que ele não possa ser comprado por réus ricos. É um preço que nós temos que pagar para tem um judiciário competente, ja que a honestidade e moral humana as veses não é suficiente.

1:38 AM  
Anonymous Anônimo said...

Tudo isso com aposentadoria e mesmo assim meu pai recebe 1/3 do que aposentou realmente?? é meu Brasil, aposentaria já é um calote dos grandes, os pobres coitados trabalham a vida inteira, paga todos os impostos e depois recebem migalhas, e agora querem cortar de vez por causa da má gestão do dinheiro? Não me surpreenderia saber que metade do gasto com aposentadoria/pensão for com corruptos, salários exorbitantes e benefícios pra esses filhos da puta que não trabalham direito.

4:58 PM  
Anonymous Anônimo said...

BAIXAR OS JUROS + ACABAR COM APOSENTADORIAS ESTRAVAGANTES + DISTRIBUIÇÃO DE RENDA = A MAIS DINHEIRO PARA AREAS MAIS IMPORTANTES OBVIAMENTE...
APENAS DISCORDO DE COMENTARIOS QUE TENTAM JUSTIFICAR SALÁRIOS EXTRAVAGANTES NO JUDICIÁRIO POIS DEVERAS SE A JUSTIFICATIVA DO ALTO SALÁRIO É MANTER A MORAL DE JUIZES E TAIS É ERRADO POIS QUEM É INTEGRO O É POR POSTURA MORAL ALICERÇADA EM PRINCIPIOS NAO EM SALÁRIOS SE GANHANDO 3000 ELE PODE SER COMPRADO PELOS RICOS QUE GANHAM MILHOES INTAUM SE GANHAR 20000 PODE SER COMPRADO POR UM BILIONÁRIO ... ISSO SO DEPENDE DA GANANCIA EM QUESTÃO... NINGUEM PRECISA GANHAR 20000 NUM PAIS MARCADO PELA POBREZA COMO O NOSSO AINDA MAIS SE FOR UM ASSALARIADO DO POVO... ESSE PENSAMENTO PROMOVE A DESIGUALDADE E A INJUSTIÇA... DEPOIS FAZEM PASSEATAS PELA PAZ E FICAM PERPLEXOS PELO TAMANHO DA VIOLENCIA

1:21 PM  
Blogger luis carlos chiaperini said...

Eu acho que entre as coisas que estão gastando mal é a educação, uma vez que as pessoas alem de não saber quase nada do que lhes é ensido, também saem das escolas com quase nenhuma noçao de vida, e só erram em quase tudo, engravidam cedo, não aprendem profissão e muitos ainda se julgam inteligentes e acabam nos presidios, acho que tem diminuir, a cota da educação e jogar na saude e na segurança, pra tentar disciplinar o povo, A educação não esta disciplinando como deveria. Estão esperdiçando dinheiro com a educação.

2:30 PM  
Anonymous Maria Mônica Furtado said...

Fora uns poucos, eta povo para escrever besteira. E o que é pior, com um português de fazer inveja aos analfabetos. Tem sim que investir mais em educação e saúde. Na educação, aumentar o nº de creches e escolas de tempo integral, diminuindo assim a criminalidade juvenil e preparando os jovens para um melhor ingresso no mundo do trabalho. E, falando em trabalho, investir tb na profissionalização desses jovens. Aumentar o investimento do poder público no professor. Como? Com melhores salários e capacitação. Tb investir na qualificação dos gestores (diretores) das escolas públicas. Fiscalizar as licenças e atestados médicos apresentados pelos profissinais da educação. Não tenho estatíticas, mas sei que alguns fazem da cátedra cabide de emprego. Falta comprometimento. tem que brigar por melhor salário, mas tudo tem via de mão dupla, vc tem que cumprir com suas obrigações.
Na saúde, falta mais investimento público. As campanhas de vacinação são exemplo (elas são relíquias de gov passados, ainda bem que deram continuidade). Previnir é o melhor remédio. E por falar em prevenção, por que o poder público não investe em saneamento básico? Porque não dá voto. É uma vergolha nós nos encontrarmos nessa condição sub-humana de país que tem pouquíssima rede de água e esgoto encanados. Falta vergonha na cara dos dirigentes de nossa Pátria.

1:08 PM  
Anonymous Victor Pereira said...

não concordo com o corte das aposentadorias, mas sim com a diminuição das aposentadorias de políticos, assim como os salários deles e seus benefícios desnecessários. os gastos com aposentadoria são altos devido à dos políticos aposentados.

7:30 PM  
Anonymous Anônimo said...

Mas, não é só um problema de educação, pior que os semianalfabetos,são os analfabetos políticos e temos intelectuais, gente que estudou nos colégios mais caros, viaja pelo mundo, problema Brasileiro é cultural, que passa também pela educação, mas que é muito mais complexo, teriam que fazer alguns avanços sociais nessa questão, que aproximasse a famílias dos alunos da escola inclusive, para ter algum retorno e nem precisaria ter gastos absurdos para conseguir isso, quanto aos números que o professor colocou com a aposentadoria, seria lindo se fosse possível, agora diminuir pela metade os gastos com aposentadoria a corda ia apertar de algum lado e ai? a gente não está falando de cortar um valor X e sim cortar pela metade? acreditam que algum presidente vai conseguir aprovar isso? seria um sonho e os investimentos privados? fica difícil um empresario que já paga tanta taxa e tributo ainda investir, a não ser que que tenham projetos que irão dar algum retorno para esses investidores, precisamos de diversas reformas, reforma politica, reforma judiciaria, reforma previdenciária,reforma trabalhista e claro a reforma tributaria também.

3:07 AM  
Anonymous Andre Luiz Ogliari said...

Ola, um dado importante que nao foi colocado, o governo gasta 10% do PIB com dependentes de drogas, 7% na saude e esta vergonha de 4,5% na educacao , em paises como Islandia e Noruega 30% do PIB vai para a educacao, esles faculdade de graca . No Brasil de cada 90 univercitarios apenas 30 concluem a faculdade, pois as nossas faculdades federais sao mais caras do que as particulares, a grande maioria tem que abandonar pois nao tem condicoes de pagar. Se 20% do PIB fose para a educacao, nos poderiamos ter polos regionais federais, onde os univercitarios pudessem morar, ter alimentacao e estudo totalmente gratuitos . Uma pessoa formada ganha no minimo de 3 a 5 vezes mais.
Que esptativa de vida tem uma crianca que vive em uma favela, quem de uma certa forma cuida com alimentacao e vestuario dele , e o traficante, pois as medidas paleativas do governo, como o bolsa familia, nao resolvem a sitiacao dele, entao a probabilidade dele entrar para o munda das drogas e do crime sao extremamente grandes, isso aumenta os custo do SUS, gastos do PIB com dependentes, seguranca, istema carserario e aposentadoria por ser dependente quimico. Mas e esta mesma crianca tiver um motivo para se motivar, colocando-se de igual com pessos de outras clases sociais, sabendo que basta estudar, pois a faculdade e de graca, ela pode ter um futuro digno, e formada ganhara bem , entao ela nao dependera somente do hospital publico, pois tendo condicoes financeiras, podera ir em um medico particular, ela tambem planejara sua familia e instruira seus filhos a se previnirem quanto a drogas ou filhos indesejados, resumindo ela nao dependera somente do gaverno, pois podera pagar por coisas basicas aos direito universais, como saude, alimentacao etc. Investindo na educacao de qualidade automaticamente os outro setores do gaverno se desafogao .
Desculpe pela falta dos acentos ou eros de ortografia pois estou utilizando um dispositivo movel e ele e bem restrito, eu sei escrever.
Sou matematico, geologo e teologo.
Abracos.

6:23 PM  

Postar um comentário

<< Home